quinta-feira, 8 de março de 2012

Mulheres Pin ups

Para comemorar o dia internacional da mulher, nada mais Vintage do que explorar a história de mulheres que fizeram parte do imaginário masculino nos anos 40 e 50 que são as Pin Ups. Eram ingênuas porém provocantes, seu jeito atrapalhado fazia com que mostrassem as pernas e coxas sem querer. O bom humor, sensualidade, elegância e carisma fazia a imagem da verdadeira Pin Up. Acredito que atualmente toda mulher tem seu lado Pin Up. Pesquisei a história das Pin Ups no site obvious Passageiras Letras escrita por César Brito e vou compartilhar com vocês. Feliz dia internacional da Mulher!




PIN UPS - AS MULHERES DE PAPEL

Desenhadas ou fotografadas,as Pin Ups fizeram parte do imaginário masculino durante muito tempo.Sempre elegantes e carismáticas,são influência para moda e comportamento.


Elas eram provocantes, porém ingênuas. Atrapalhadas mostravam as pernas grossas e as cochas, sem querer.
As Pin Ups tiveram seu auge entre os anos 40 e 50, mas ainda é uma importante referência para publicidade, moda e fotografia.


Reproduzidas em calendários, revistas, ou cartões postais as Pin Ups eram penduradas em lugares como quartéis, mecânicas, armários em geral. Foi o primeiro conceito erótico usado de forma comercial, também a primeira vez que foi mostrado na mídia roupas íntimas femininas, como a lingerie.


As Pin Ups eram a reprodução do padrão de beleza ideal, alguma parte do corpo era despida, algumas apareciam totalmente nuas, mas não mostravam nada além do que era aceito para época. Alguma parte era exposta de forma geralmente acidental como na clássica cena de Marilyn Monroe no filme O Pecado Mora ao Lado onde seu vestido é levantado pela ventilação do metrô, Marilyn ao invés de ficar assustada ou muito constrangida com a situação, ela sorri graciosamente, uma verdadeira Pin Up é sempre bem humorada, independente da situação.


A história das Pin Ups começa no final do século XIX, em Paris, quando surgiram os primeiros anúncios publicitários que usaram a figura da mulher em cartazes. O pintor Jules Chéret foi um dos primeiros a descobrir o efeito de uma mulher atraente em um cartaz publicitário. Em 1912 o artista Paul Chabas pintou September Morn, a pintura retratava uma moça banhando se no lago.



A imagem mostrava uma donzela inocente, que sutilmente cobria o corpo com os braços, não por vergonha, devido ao frio. Quando exposto nos EUA o quadro foi considerado indecente, causando polêmica, o suficiente para empresários reproduzirem a imagem em caixas de bombom, calendários, cigarros e muito mais.


Pouco depois na França Raphael Kirchner começou a ilustrar cartões postais, apesar de ilustrar uma grande variedade de cartões, Kirchnner chamou atenção pelas ilustrações de mulheres, ilustrações que foram muito populares com as tropas da Primeira Guerra Mundial.


Influenciado por Raphael Kirchner e pelo modo de vida das mulheres americanas, o artista Alberto Vargas começa a pintar para a revista masculina Esquire as Vargas Girls, as garotas de Vargas chamaram tanta atenção que nos anos 40 a revista Esquire publicou um calendário. O calendário com as Vargas Girls foi um sucesso mundial popularizando o conceito pin up para o mundo, uma Varga Girl está presente na capa do Sgt. Peppers dos Beatles (só para dar um exemplo da popularidade).


Alberto Vargas desenhou Marilyn Monroe e Ava Gardner e foi um dos principais ilustradores da revista Playboy, muitos o consideram pai das Pin Ups.
Outro artista importante era George Petty que também ilustrava para a revista Esquire, suas garotas eram conhecidas como The Petty Girl. A fama de suas garotas veio quando foram reproduzidas em aviões da Força Aérea americana, na Segunda Guerra Mundial.


Aliás,na Segunda Guerra Mundial, jovens soldados penduravam Pin Ups para lembrarem se das esposas, namoradas, da vida que tinham deixado para trás. O exército americano distribuía fotos de garotas para seus soldados, garotas que de alguma forma lembrava os soldados do estilo americano de viver.


Diferentemente de Vargas ou Petty, Gil Elvgren era um artista totalmente comercial, fez campanhas para Coca Cola e General Eletric, por exemplo. Muitos diminuem sua importância como artista devido à intensa criação de Pin Ups para fins publicitários, mas por desenhar tantas Pin Ups, Gil Elvgren é sem dúvida o artista mais popular do estilo, suas obras são conhecidas e apreciadas no mundo todo. Durante sua carreira produziu cerca de 500 pinturas de garotas, quase todas em óleo sobre tela.


O cinema também era influenciado, Brigitte Bardot, Sophie Loren e Marilyn Monroe eram Pin Ups de carne e osso. Embora muitos pensem automaticamente em Marilyn Monroe quando o assunto é Pin Up, a rainha das Pin Ups tem outro nome: Bettie Page. 



Bettie que trabalhava como modelo desde os 20 anos de idade começou a fazer sucesso aos 27 anos quando mudou se para Nova York. Foi a pessoa mais fotografada dos nos 50, surgiram vários produtos com as suas fotos. Ingênua, provocante e carismática Bettie Page era assim naturalmente, uma perfeita Pin Up, não demorou para tornar se rainha.


Bettie Page ainda é referência na hora de desenhar heroínas nos quadrinhos, Katy Perry tem o cabelo bem parecido com de Betty. Não é difícil encontrar garotas que usem lenços, saias e acessórios em geral que lembrem uma Pin Up. O jeito de fotografar pessoas influenciou toda uma geração. Sem dúvida um importante movimento artístico que não empacou no século XX.


Nenhum comentário:

Postar um comentário